Bilal – A New Breed of Hero

Bilal - A New Breed of Hero

A animação Bilal – A New Breed of Hero, foi finalizada em 2015, e chega aos cinemas americanos amanhã dia 02 de fevereiro. Uma produção do Emirados Árabes Unidos produzida pela Barajoun Entertainment, história escrita por  Ayman Jamal e dirigida por Ayman e  Khurram H. Alavi.

Sinopse: Essa aventura se passa a mil anos atrás e conta uma história de Bilal, um garoto que sonha ser um grande guerreiro, mas é sequestrado junto com a sua irmã e levado para uma terra distante na região das Arábias. Nesse mundo a injustiça é a regra, mas Bilal tem coragem de erguer a sua voz em busca de liberdade para ele e para os que estão a sua volta.

A animação é baseada na história de Bilal Ibn Rabah, que vivia na Etiópia quando foi sequestrado e converte-se ao islamismo tornando-se um companheiro de confiança do profeta Muhammad, após conquistar sua liberdade.

O filme levou cerca de oito anos para ser produzido com cerca de 250 animadores trabalhando. Jamal ainda fala da atenção que teve aos detalhes, uma pesquisa aprofundada com doutores e universidades sobre a história real e a busca por informações sobre os personagens vieram de 17 fontes diferentes, houve também uma pesquisa com cientistas forenses para criar as características das tribos baseadas nessas descrições. Foram mais de 500 horas de pesquisa para o desenvolvimento de roupas e acessórios. A intenção era contar a história o mais próximo possível dos textos, e não usar apenas a imaginação.

E Jamal diz ainda que sua inspiração para fazer o filme veio das suas referências de heróis da infância em filmes como  Malcon X e Coração Valente, mas ao perguntar ao seu filho que tipo de herói ele gostaria de ser o garoto respondeu Superman, pensando nisso ele resolver mostrar ao seu filho e a outras crianças heróis reais e possíveis. Ele queria inspira-las com histórias reais também.

Veja o trailer dessa linda animação que estréia dia 02 de fevereiro nos Estados Unidos, mas que infelizmente não tem previsão no Brasil.

Preta, feminista, da quebrada de São Paulo, fotógrafa. Escrevo com luz e me arrisco nas palavras. Nado pra não me afogar. Danço pra não enferrujar.