Tânia Seles

Issa Rae - Cover Girl

Issa Rae, criadora e protagonista de série Insecure, uma das melhores séries sobre a experiência de ser uma mulher negra contemporânea, agora também é o novo rosto da marca de cosméticos Cover Girl. A marca anunciou a novidade hoje em seu Instagram e agora Issa Rae entra para o seleto grupo de mulheres negras influenciadoras que são referência na mídia abrindo caminho e servindo de modelo para outras mulheres, antes

Cabelo curto - Taraji P. Henson

Quando eu fiz o big chop em 2015 eu realizei um sonho antigo de ter o cabelo curto. Quando eu era mais nova sempre admirei as mulheres que tinham cabelo curto, mas as minhas referências sempre foram de moças brancas de cabelo liso com um corte que ficava lindo em quem tinha o rosto mais delicado, o que nunca foi o meu caso. Na adolescência eu fazia relaxamento no cabelo,

Grace Jones

Grace Jones, a diva absoluta da cultura pop, ganhou um documentário muito aguardado. Grace Jones: Bloodlight and Bami estreou essa semana no Festival Internacional de Cinema de Toronto e mostra a vida da cantora, destacando os bastidores de sua carreira e detalhes mais íntimos da vida de Jones, que fez história com o seu visual andrógino e atitudes únicos, além de ser um ícone da moda que é copiado até hoje. Grace

CocknBullKid

CocknBullKid é o nome artístico de Anita Blay, nascida em Londres em 1985. Na adolescência ela começou a se interessar por música e começou a escrever letras de rap enquanto conciliava trabalhos diurnos com o seu estilo de vida noturno e depois de perceber que não se encaixava naquela vida resolveu investir na carreira de cantora. Anita lançou o seu primeiro single “On My Own” em 2008 e conseguiu se apresentar no

Luke Cage

Se você acompanha os seriados da Netflix já deve estar por dentro da série Luke Cage, terceira série do universo Marvel na Netflix, e mais um herói que se prepara para integrar a equipe dos Defensores no ano que vem. A série estreou no dia 30 de setembro de 2016 e, além de contar a história do herói de aluguel à prova de balas, também trouxe uma trilha sonora impecável que,

Jurell Cayetano e as suas pinturas pós-impressionistas

Jurell Cayetano é um artista conhecido por suas pinturas pós-impressionistas que retratam pessoas negras em seu cotidiano. Usando guache e lápis de cor, Cayetano retrata o dia a dia de figuras de pele negra, são homens e mulheres nas mais diferentes situações: bebendo uma cerveja, no cabeleireiro, tocando violão ou posando displicentemente para o artista. O seu trabalho tem toques de pós-impressionismo e pode ser comparado com pintores como Paul Cézanne.

Calendário Pirelli 2018

O Calendário Pirelli ficou conhecido em mais de cinquenta anos de existência por trazer modelos nuas ou semi nuas em seu conteúdo, fotografadas por grandes nomes do meio. Porém em suas edições mais recentes ele vem quebrando alguns tabus e inovando. Na edição de 2016 ele trouxe mulheres notáveis como Patti Smith, Serena Williams e Yoko Ono. Em 2017 foi a vez de trazer as mulheres sem retoques de imagem

Jurell Cayetano - Mulher Negra Latina e Caribenha

No dia 25 de julho é comemorado o Dia da Mulher Negra Latina e Caribenha. A data marca o 1° Encontro de Mulheres Negras Latinas e Caribenhas, que ocorreu em 1992 em Santo Domingo, na República Dominicana. Nesta data vários coletivos do país se articulam em eventos que promovem protestos e em várias regiões do país acontecem eventos como a Marcha das Mulheres Negras. No Brasil mais da metade da

Seratones - bandas de rock com mulheres negras

Selecionamos 5 bandas de rock com mulheres negras em sua formação para você conhecer as mulheres que continuam resistindo em um espaço onde elas não são bem vindas. Quantas bandas de rock com  mulheres negras você conhece? Depois que anunciaram Elvis como o rei do rock o ritmo pouco a pouco foi sendo apropriado por uma audiência branca e colocando o público negro em outros nichos, como o R&B, Disco

Eu Não Sou Negro

O documentário de 2016 Eu Não Sou Seu Negro (I am Not Your Negro no original) do diretor Raoul Peck foi vencedor do Oscar 2017 na categoria Melhor Documentário. Narrado por Samuel L. Jackson ele traz luz aos escritos de James Baldwin, que no final dos anos 1970 começou a escrever um livro que contava a trajetória de três amigos seus assassinados: Medgar Evers, Malcom X e Martin Luther King Jr..