BlacKkKlansman, o novo filme de Spike Lee

BlacKkKlansman, o novo filme de Spike Lee

No dia 10 de agosto chegou aos cinemas o mais novo filme do Spike Lee, chamado BlacKkKlansman, (Infiltrado na Klan em português).

O filme é uma comédia com toques de drama situada na década de 1970, no Colorado, Estados Unidos. O protagonista é Ron Stallworth (John David Washington (filho do Denzel Washington)), um policial do Departamento de Polícia Colorado Springs, transferido para a unidade de inteligência começa a investigar um grupo de extremistas da Ku Klux Klan após ver um anuncio no jornal. Inusitadamente ele se torna um membro infiltrado dentro do Klan que fala com eles pelo telefone enquanto Flip Zimmerman (Adam Driver), um policial branco e judeu encontra com eles pessoalmente.

O filme é baseado em um história real e no livro escrito lançado em 2014 que detalha toda essa operação, Ron foi o primeiro e mais jovem policial negro da cidade. Ainda hoje lava consigo sua carteira de identificação da KKK e anda armado devido as ameaças que sofreu depois da publicação do livro.

É curioso e ao mesmo tempo dolorido ver o mundo na perspectiva de um grupo racista. A busca pela raça pura é misturada com ódio e ignorância tão grandes que eu fico sem palavras. Não há justificativa.

Spike Lee consegue realmente balancear os momentos de drama e humor e nesse filme ele mostra todo o seu talento como diretor. Os atores John David e Adam Driver tem uma parceria muito interessante, e destaco também o figurino que é sensacional, é cada black power maravilhoso! Mas principalmente a montagem que combinada com a trilha sonora é extremamente marcante.

BlacKkKlansman tem a produção de Jordan Peele eu consegui lembrar dele pelo tom de humor que o filme tem, em certos momentos me remeteu muito a Get Out (Corra!).

É um filme que todo mundo deveria assistir, e que no final deixa um recado muito importante e amargo.

Veja o trailer e corra para o cinema!

Preta, feminista, da quebrada de São Paulo, fotógrafa. Escrevo com luz e me arrisco nas palavras. Nado pra não me afogar. Danço pra não enferrujar.