Conheça a escritora Chimamanda Ngozi Adichie

Conheça a escritora Chimamanda Ngozi Adichie

Chimamanda Ngozi Adichie tornou-se conhecida pelo seu trabalho a partir da palestra no TED em 2012, We should all be feminists. A palestra transformou-se no livro Sejamos Todos Feministas (2014). A partir daí seus outros trabalhos popularizaram, e Chimamanda tornou-se umas das principais escritoras de uma nova geração de literatura africana, pouco conhecida e divulgada no Brasil.

A escritora nasceu na Nigéria em 15 de setembro de 1977, na cidade de Anambra, mas cresceu na cidade universitária de Nsukka e aos 19 anos se mudou para os Estados Unidos. Na Filadélfia cursou comunicação e ciências políticas. É mestre em escrita criativa pela Universidade Johns Hopkins, e mestre de Arts e Estudos Africanos pela Universidade de Yale. Chimamanada é a primeira mulher chefe da Administração da Universidade de Nigéria, hoje se divide trabalhando no seu país de origem e nos EUA com literatura.

Além desse vasto currículo acadêmico, se você ainda não a conhece, talvez já tenho ouvido falar da sua parceria com a Rainha Beyoncé no videoclipe de Flawless (2013), seu discurso sobre feminismo está incorporado na música.

O primeiro romance, Hibisco Roxo (2003) é narrado por Kambili, uma menina rica que vive com seu irmão Jaja, o pai um empresário de sucesso e a mãe dona de casa. Os moldes de uma família que seria o padrão almejado, mas que na verdade não é bem assim. Kambili narra sua história com a sutileza e inocência de uma criança.

Em Meio Sol Amarelo (2006), Chimamanada nos apresenta a guerra Nigéria com a República da Biafra, fala da resistência do povo Igbo diante de um massacre do qual nas aulas de história nada aprendemos.

Americanah (2013) nos conta a trajetória de Ifemelu e Obinze, eles se apaixonam no colégio, mas suas vidas tomam caminhos completamente diferentes quando saem da Nigéria, ele vai para a Inglaterra e ela para os Estados Unidos.

Para Educar Crianças Feministas (2017), é um manifesto escrito no formato de carta, com 15 sugestões para criar nossos filhos na perspectiva de igualdade de gênero.

Seu mais recente trabalho lançado no Brasil é o livro de contos No seu Pescoço (The Thing Around Your Neck), lançado em inglês em 2009, mas que só chegou as prateleiras nacionais recentemente em 2017.

2003     

Por que ler?

Porque ela é ótima!

Mas, não apenas por isso. Estamos tão acostumados com a nossa zona de conforto, sempre em busca dos mesmos autores nas prateleiras, é importante sair da bolha para ver que o mundo e maior que o nosso quintal. Chimananda apresenta outro olhar sobre a vida, sobre ser mulher, negra, africana, nigeriana. Bem longe das savanas e safáris, do povo alegre, gentil que adora dançar, seus livros não apresentam clichês e personagens estereotipados. Ela escancara que não sabemos quase nada sobre o continente africano, e que o pouco que sabemos é enviesado, distorcido.

Sua escrita é crítica e sutil, ela discorre sobre racismo e abuso, ao mesmo tempo em que é eficiente ao nos aproximar de lugares tão distantes e mostrar que as mesmas nuances que temos aqui, existem lá, os conflitos e a individualidade das pessoas, de um povo, de uma cultura. A autora possui a habilidade de construir personagens complexos com os quais nos identificamos e que nos guiam durante a leitura com leveza e fluidez, mesmo nos momentos mais tristes da narrativa, estamos absortos encontramos semelhanças dentro das diferenças.

Leia Chimamanda, deixo para o final essa outra palestra do TED em que ela fala sobre o perigo da história única. Mais um motivo para ir atrás do seu trabalho.

 

 

Preta, feminista, da quebrada de São Paulo, fotógrafa. Escrevo com luz e me arrisco nas palavras. Nado pra não me afogar. Danço pra não enferrujar.