Dona Bernadete faz show no Sesc Belenzinho e celebra 45 anos de carreira

Pioneira do samba paulistano, a cantora também conhecida como Tulipa Negra apresenta canções que marcaram sua trajetória; Preta Ferreira e Carol Naine participam de espetáculo que integra projeto Salve Samba!

Quem não arrisca não petisca é o nome do mais recente projeto de Dona Bernadete do Peruche. O show, que passeia pelos 45 anos de carreira da sambista, será apresentado na Comedoria do Sesc Belenzinho, dia 7 de março de 2020, sábado, às 21h30.

Leia também:
[Playlist] Afro-Amor: canções para celebrar o amor negro
Canções para o autocuidado: Mulher Negra, se cuide

Conhecida como a Tulipa Negra do Samba, a paulistana emplacou sucessos como Farsa do Amor e Jogo da Vida, conviveu com nomes como Armando da Mangueira, Walter Guariglio e Royce do Cavaco. Dona Bernadete foi a primeira mulher ​puxar um samba-enredo no Anhembi, em 1991, a primeira a integrar a ala de compositores das Escolas de Sambas de São Paulo ​e também ​a primeira mulher a assumir o cargo de diretora da ala de compositores da agremiação Unidos do Peruche (em 2012).

No palco, acompanham Dona Bernadete: Wilians Marques (violão 7 cordas), Eduard Michael (sax e flauta), Fabio Tobias (cavaquinho), Alex Sandro Rosa (surdo) e Vinícius Gonçalves (percussão). Preta Ferreira e Carol Naine fazem participação. As três têm em comum, além de serem cantoras de samba, o fato atuarem como ativistas do empoderamento feminino.

No projeto, a sambista resgata suas grandes inspirações como seu pai, Nelson dos Santos, violonista autodidata, integrante do grupo Conjunto Preto no Branco na década de 1950, e que acompanhou ícones como Nelson Gonçalves e Orlando Silva.

O nome do show, Quem Arrisca, Não Petisca, faz menção ao samba-enredo de Ideval Anselmo, Carlinhos e Zelão, de 1991, e em cuja edição Dona Bernadete fez sua estreia na passarela.

A força do feminino extrapolou o samba na vida de Bernadete. A Tulipa Negra defende que as “mulheres sejam respeitadas e reconhecidas”. É impossível falar de samba e não assimilá-lo a um símbolo da cultura afrodescendente, cuja presença feminina sempre foi marcante. Costurando fantasias, engomando saias, na cozinha ou simplesmente servindo de musas inspiradoras, o matriarcado é um forte traço dessa cultura.

O show integra o projeto Salve Samba!, do Sesc Belenzinho, que celebra o ritmo genuinamente brasileiro em seus diversos estilos, com apresentações de artistas da jovem e da velha guarda. Desde 2014, o projeto trouxe grandes nomes ao palco do Sesc Belenzinho, tais como Alcione, Arlindo Cruz, Beth Carvalho, Xande de Pilares e Fundo de Quintal.

DONA BERNADETE

Projeto Salve Samba!

Participações: Preta Ferreira e Carol Naine

Dia 07 de março de 2020. Sábado, às 21h30
Local: Comedoria (650 lugares)
Ingressos: R$ 30,00 (inteira); R$ 15,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante) e R$9,00 (credencial plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes. Ingressos disponíveis pelo portal Sesc SP (www.sescsp.org.br) e nas bilheterias das unidades do Sesc. Limite de 2 ingressos por pessoa.
Recomendação etária: 18 anos
Duração: 90 minutos

Sesc Belenzinho
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000.
Belenzinho – São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2076-9700
www.sescsp.org.br/belenzinho

Estacionamento
De terça a sábado, das 9h às 22h. Domingos e feriados, das 9h às 20h.

Para espetáculos pagos, após as 17h: R$ 7,50 (Credencial Plena do Sesc – trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo). R$ 15,00 (não credenciados).

Transporte Público

Metro Belém (550m) | Estação Tatuapé (1400m)

Tânia Seles

Sou formada em Artes Visuais, apaixonada por arte, música, livros e HQs. Editora dos sites Las Pretas e Sopa Alternativa.