Moda masculina: Walé Oyéjidé

Moda masculina: Walé Oyéjidé

A moda de Walé Oyéjidé é focada em jaquetas e acessórios como lenços de bolso, e sua intenção é apresentar uma trabalho que mostra a África de maneira desmitificada. Os boys também devem se vestir com estilo não é mesmo?

Me encantei com a beleza das suas roupas de Walé nas minhas pesquisas sobre estética afrofuturista quando deparei com ele. Seu trabalho é focado em moda masculina, mas também tem alguns modelos femininos. E pra quem quer desconstruir roupas com gênero, na verdade nada disso importa né?

Walé é Nigeriano e atualmente mora nos Estados Unidos, antes de fazer as roupas escrevia sobre moda masculina no blog “Less Gentlen”, até que foi nomeado um dos cinco homens mais elegantes do país pela Esquire Magazine em 2010. A partir de então decidiu se arriscar criando a sua própria grife Ikiré Jones.

“Nós usamos o design como veículo para contar histórias que iluminem de várias formas a vida de pessoas marginalizadas.”

Lenços da coleção

Walé é musico de afrobeat, hip hop e soul, advogado e designer. Seu trabalho é cheio de mensagens dentro das estampas ricas em detalhes que contam histórias. Ele as usa para celebrar a cultura africana e um novo olhar sobre o processo de diáspora. Mistura estéticas de todo o mundo nas suas peças para criar uma mensagem sobre inclusão. Walé acredita que as roupas podem servir como pontes entre culturas que são aparentemente dispares.

Quando o designer fala sobre afrofuturismo tem a sua própria definição. Ele diz que qualquer um que tem ideias corajosas e inovadoras sobre o continente africano é uma afrofuturista e isso resume muito bem qual o conceito do seu trabalho.

“Em um mundo com tanta riqueza e diversidade de experiências humana, com nosso trabalho encontramos grande alegria em apresentar a história triunfante de pessoas que muitos de nós ignoramos anteriormente.”

 

Homens geralmente tem o costume de não arrojar nas roupas e investir no básico, ou tem medo de pesquisar ou arriscar acreditando por vezes que o interesse por moda tem alguma coisa a ver com ausência masculinidade. Walé vai na contra mão, suas peças são extremamente coloridas, ao mesmo tempo que são elegantes com caimento e corte perfeito, convida os homens a se arriscar, ir além do óbvio.

Na sua coleção After Migration, Walé Oyéjidé  contratou requerentes de asilo na Itália para modelar com as suas roupas. Proporcionando oportunidades para pessoas que são rejeitadas fora dos seus países de origem. Atualmente tem mais de seis coleções lançadas. Seu trabalho nos apresenta um novo olhar sobre moda africana, vai além e nos apresenta um pouco do seu modo de vida e cultura, um olhar livre de vícios e estereótipos, um olhar que foge do lugar comum. Conhecer o trabalho de um homem nigeriano nos apresenta novas informações e transforma o nosso olhar também.

Curiosidade: Um dos seus lenços envolve o corpinho do príncipe de Wakanda no filme Pantera Negra, que tem estreia prevista para fevereiro de 2018.

“Ser africano é ser inspirado pela cultura e ser preenchido com eternas esperanças para o futuro. Meu trabalho fala para aqueles que não deixarão seu futuro ser ditado por um passado problemático. Estamos prontos para contar nossas próprias histórias, sem compromisso, sem desculpas.”

 

Confere aí as roupas maravilhosas dele:

 

Preta, feminista, da quebrada de São Paulo, fotógrafa. Escrevo com luz e me arrisco nas palavras. Nado pra não me afogar. Danço pra não enferrujar.