Oficina com Gumboot Dance Brasil no SESC Consolação

Oficina com Gumboot Dance Brasil no SESC Consolação
Durante a temporada de Subterrâneo, o Gumboot Dance Brasil realiza oficina para os interessados em conhecer essa técnica diferente, criativa e potente que é o Gumboot, uma dança africana realizada com botas de borracha, que promove uma grande percussão corporal. Qualquer pessoa interessada pode participar!

Quando?

 
De 26/03 a 28/03, o Gumboot Dance Brasil​ realiza uma oficina no Sesc Consolação​ de dança africana com botas (Gumboot).
 
A Oficina é composta por exercícios rítmicos que surgem da leitura corporal e dos códigos construídos pelos mineiros que trabalhavam nas minas de ouro da África do Sul.
 
O Gumboot é uma dança sul-africana em que os dançarinos utilizam botas de borracha para produzir sons enquanto executam coreografias batendo com os pés e com as mãos, produzindo uma comunicação potente e poética. O ritmo é marcado pela batida nas botas e pelas canções. Em sua essência o Gumboot traz na prática, elementos da brincadeira, do canto de trabalho e a sonoridade extraída do próprio corpo.
 
Nessa oficina o aluno experimenta de uma forma lúdica e musical, a possibilidade de criar códigos e diálogos percussivos. E com diversas variações sonoras, são convidados a conhecer a história vivida no período de maior extração de ouro e diamante no final do século XIX na África do Sul.
Foto: Zarella Neto

Para se inscrever na oficina acesse o link AQUI

 

A Oficina faz parte da temporada do novo espetáculo do Gumboot Dance Brasil, Subterrâneo​, que estreia no dia 23 de março no Teatro Anchieta – SESC Consolação. 

 
Batendo com as mãos e com os pés em suas botas de borracha, treze bailarinos realizam um grande percussão corporal acompanhados de uma banda que executa a trilha sonora ao vivo. 
 
Eles surpreendem ao apresentar ao público um espetáculo que adentra a realidade de mineradores explorados na África do Século XIX e a população pobre e periférica do Brasil atual. Trabalhadores em condições degradantes lutando pela sobrevivência saciando os donos das riquezas, sem nunca enriquecer.
 
O Gumboot surgiu na África do Sul no século XIX, quando foram descobertas minas de ouro e de diamante por lá. Sul-africanos de etnias diferentes foram forçados pelos colonizadores Holandeses e Britânicos a trabalhar nessas minas, em condições degradantes, sem ao menos conseguir se comunicar por não falarem a mesma língua (a África do Sul tem cerca de onze línguas oficiais).
 
Subvertendo o meio ao qual estavam submetidos, eles inventaram um jeito de se comunicar sem precisar recorrer ao idioma falado. Descobriram que o batuque das botas, canto e gritos eram a solução para que pudessem se expressar.
 
Foto: Zarella Neto

Preta, feminista, da quebrada de São Paulo, fotógrafa. Escrevo com luz e me arrisco nas palavras. Nado pra não me afogar. Danço pra não enferrujar.