ryane leão

Poetas contam como usam literatura para curar as cicatrizes no Flipoços

O que a arte pode curar? Inspiradas nas próprias dores, cicatrizes e sangue, as poetas Lâmia Brito, Ryane Leão, Luiza Romão e Letícia Brito participam da mesa “entre cicatrizes e sangue: o que fica?” que acontece no dia 04 de maio às 16h no Encontro de Arte da Periferia, parte da programação da 13ª edição do Festival Literário Internacional de Poços de Caldas, o Flipoços. Convidadas figuram em diferentes listas dos melhores livros do ano e participam de bate-papo no festival Esta

Onde jazz meu coração, a poesia de Ryane Leão

O projeto de intervenção urbana Onde Jazz Meu Coração tem mais de cinco anos. Se você é do tipo que presta atenção quando anda por aí, já deve ter visto alguns dos lambes com poesias da Ryane pelas ruas da cidade de São Paulo. Ryane Leão é de Cuiabá, porém há mais de sete anos mudou-se para São Paulo de onde nunca mais saiu. É escritora, poeta, lésbica, professora, estudante de letras