Três Amigas, no Ritmo do Blues: uma amizade entre décadas

Três amigas, no ritmo do Blues narra a trajetória das três amigas Clarice, Barbara Jean e Odette, também conhecidas como as “Supremes“, já na terceira idade e ainda tendo que lidar com os conflitos de seus passados que ainda ressoam no presente. O livro é a continuação do aclamado “Três amigas, todos os domingos” de Edward Kelsey Moore.

Na sinopse:

Depois de conduzir o leitor a uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos e acompanhar de perto a rotina e as agruras das inseparáveis Odette, Clarice e Barbara Jean em Três amigas, todos os domingos, o músico de formação e escritor Edward Kelsey Morre está de volta com mais uma história de amor, família e perdão, no lançamento Três amigas, no ritmo do blues. Dessa vez, a mãe super religiosa de Clarice, Miss Beatrice, está prestes a se casar com Forrest Paine, o proprietário de um clube noturno cuja reputação não é das melhores.
A cerimônia traz à cidade Sr. El Walker, lendário bluesman que havia jurado nunca mais botar o pé no lugar para evitar revirar lembranças dolorosas. Ele não é o único, no entanto, com dificuldades em se reconciliar com o passado. As três velhas amigas Odette, Clarice e Barbara Jean, que atravessaram tantos bons e maus momentos juntas, se esforçam para superar o passado e viver o presente de forma plena, aprendendo a transformar dor em amor.

Leia também:
Eu Sei Porque O Pássaro Canta na Gaiola: a autobiografia de Maya Angelou

Apesar de ser uma continuação, o livro pode ser lido de maneira independente sem atrapalhar o entendimento da trama. Edward Kelsey Moore consegue criar uma história independente e cheia de voltas ao passado para entender porquê as protagonistas se sentem daquela forma no presente.

Um dos grandes destaques é sem dúvida as três protagonistas que, já na terceira idade, conseguem mostrar as dificuldades e felicidades dessa fase da vida e provam que mesmo tendo passado por tanta coisa na vida ainda há muita coisa que podemos aprender, mesmo mais velhos e que devemos lidar com os traumas do passado, mesmo que leve a vida inteira pra isso. Clarice finalmente tem a chance de ter uma carreira como pianista e liberdade em seu relacionamento, Barbara Jean tem que lidar com a sua realação conturbada com a sua mãe, uma mulher cheia de complicações e Odette, que se recupera de um câncer, precisa lidar com a mudança do marido e o ódio que ele tem do seu passado.

Como o título já denuncia o Blues embala esse livro e é trilha sonora perfeita para os conflitos dos personagens. Que tentam fugir dos seus erros do passado, mas não percebem como isso influencia o presente. Além das relações familiares tão complicadas na vida de todos.

O que mais atrai no livro é a maneira como autor constrói esses conflitos de maneira não linear com idas e vindas nas trajetórias dos personagens para chegar a uma conclusão surpreendente.

Sobre o autor:

Edward Kelsey Moore
Edward Kelsey Moore

Edward Kelsey Moore nasceu em Indiana, nos Estados Unidos, e se formou em música pela Universidade de Indiana. Ao longo de mais de duas décadas, Moore foi músico profissional, tocando violoncelo em orquestras como a Filarmônica de Chicago. Três amigas, todos os domingos foi o seu primeiro livro.

Se interessou pelo livro?


Três Amigas, no Ritmo do Blues

Autor: Edward Kelsey Moore

Editora: Rocco; Edição: 1ª (10 de setembro de 2018)

COMPRE AQUI

Compre pelo link acima e ajude o Las Pretas a continuar divulgando a Cultura Pop Preta e o trabalho de artistas negros. Agradecemos a sua colaboração!

Tânia Seles

Sou formada em Artes Visuais, apaixonada por arte, música, livros e HQs. Editora nos blogs Las Pretas e Sopa Alternativa.