Vamos conversar sobre Transição Capilar?

Vamos conversar sobre Transição Capilar?

Dessa vez quero falar com você que está passando pela transição capilar.
“O cabelo é a moldura do rosto”, é o que dizem, nós mulheres dedicamos tempo e dinheiro aos nossos fios. Em busca de alcançar algum tipo de padrão ou forma que nos agrade e durante a vida mudamos a cor, o comprimento, a textura das nossas madeixas.

Mas não é simples assim, essas escolhas não são só nossas, seguimos as tendências da moda e somos oprimidas também pela pressão estética do que é “bonito” o que é “apresentável” no local de trabalho, o que “combina” ou não. E por causa desse padrão estético nós, mulheres negras na grande maioria passamos a vida acreditando que nosso cabelo não era “bom” ou “apropriado”, era feio mesmo e por isso alisamos e relaxamos ainda muito jovens, porque desde a infância, quem hoje está na casa dos trinta anos ou mais cresceu sem referências de crianças e mulheres negras com cabelos cacheados e crespos nos desenhos, novelas e cinema.

E temos que lembrar sempre que beleza é construção social. O que é belo hoje não era 20 anos atrás e daqui a mais vinte tudo será diferente. E o padrão é branco, liso e de olhos azuis.

Eu sou uma dessas mulheres e conheço várias que passaram por isso. Esse padrão estético e racista é muito forte, massacra a gente por todos os lados. Mas o movimento de aceitação vem crescendo e fortalecendo cada dia mais. Sei que 6 anos atrás quando eu fiz o meu Big Chop, ou seja cortei todo o meu cabelo relaxado, não havia tantas mulheres passando pela transição capilar como agora. E esse numero só aumenta.

Leia também:
Os diferentes tipos de cabelo cacheado. Entenda
Cabelo curto afro: alguns exemplos para você se inspirar

Lembro assim que cortei o meu cabelo comecei a trabalhar e nesse trabalho todas as mulheres negras alisavam o cabelo. Porém no decorrer desse tempo todas elas passaram pela transição e assumiram seus cabelos crespos e cacheados, quatro mulheres corajosas e maravilhosas, que transformaram seu olhar. É um longo caminho até você parar de achar que cabelo crespo, cacheado e com volume só fica bonito nos outros e encontrar ela beleza em você também.

A transição não é fácil, são muitas questões envolvidas. A aparência é algo frágil e gera muitas inseguranças. Sair com o cabelo desalinhado não é algo que a gente quer fazer jamais. E tem momentos que ficamos completamente perdidas sem saber o que fazer com o cabelo, que está com duas texturas, liso nas pontas e com a raiz cacheada crescendo.

Então, o que eu quero com esse texto é falar com você que está passando pela transição, ou que está pensando em fazer. Saiba que sim, é difícil, que você vai se sentir feia algumas vezes e talvez desestimulada por amigos e parentes. Mas saiba também que você não está sozinha, muita gente está passando pelas mesmas coisas que você. Saiba que você fazer o que você quiser com o seu cabelo, que ele não é ruim. O cabelo que cresce na sua cabeça foi feito pra você, ele não está errado, ele é lindo.

Quais são suas opções?

  • Eu optei por cortar o meu cabelo logo de cara, fiz o Big Chop, porque não tenho paciência para ter duas texturas de cabelo, iria acabar desistindo. E também sempre quis ter cabelo curto, adorei, mas foi tão rápido, realmente o cabelo cresce! Não tenha medo de explorar novas possibilidades.
  • A real transição é a opção pra quem realmente não quer usar os cabelos curtos, envolve maiores cuidados de hidratação e finalização. Ou seja, cuidar do cabelo que está crescendo e manter as pontas saudáveis ao mesmo tempo, cortando aos poucos. É um processo lento, que envolve paciência.
  • Você pode optar por colocar tranças, que são um penteado protetor e assim não tem que lidar com a finalização, investindo seus cuidados no couro cabeludo pro cabelo crescer saudável.

*Tome cuidado com escova e babyliss, esses processos com calor continuam alterando a estrutura do seu cabelo, então pode prejudicar seu processo de transição. O cabelo que está crescendo pode enfraquecer e perder o cachos, ou seja seu trabalho estará indo por água abaixo. 

E para finalizar quero lembrar que se você sabe de tudo isso e ainda assim prefere o seu cabelo relaxado ou alisado, tá tudo bem também! É você quem escolhe, ter o cabelo natural deve ser uma escolha, assim como alisar. A questão é que essa escolha nunca foi dada a nós mulheres negras. E devemos ter o direito de ser como a gente quiser!

Preta, feminista, da quebrada de São Paulo, fotógrafa. Escrevo com luz e me arrisco nas palavras. Nado pra não me afogar. Danço pra não enferrujar.