Você já se jogou com o Charlie?

Se joga Charlie está no catálogo da Netflix desde 15 de março de 2019, chegou discretamente e pouco ouviu-se falar sobre a série apesar do elenco ter nomes relevantes como o protagonista que é nada mais nada menos que Idris Elba. Cá pra nós as vezes não entendo qual é a da Netflix que não divulga direito as séries. Acho que se não fosse pelo meu perfil de usuária e graças ao algorítimo eu nunca iria ouvir falar. Por isso eu pergunto: Você já se jogou com o Charlie?

Mas deixando as reclamações a parte, a série escrita pelo próprio Idris Elba e Gary Reich se passa em Londres e tem com protogonista o Charlie (Idris), um charmoso DJ que está em busca de emplacar sua carreira musical ao mesmo tempo que faz uns trabalhos paralelos pra pagar as contas.

Seu melhor amigo, produtor de cinema David (JJ Feild) que acaba de se mudar para a Inglaterra com a família, sua esposa é Sara (Piper Perabo) uma produtora musical e eles tem uma filha rebelde e inteligente chamada Gabrielle (Frankie Hervey). Por motivos de falta de grana Charlie acaba se tornando a babá da garota muito a contra gosto dele e dela. Esse é o plot.

A série tem um ritmo acelerado conduzido pela trilha sonora baseada em muita música eletrônica. A fotografia é bonita e as locações nos fazem passear por Londres assim como seus novos habitantes Gabrielle e os pais.

O destaque pra mim é a dinâmica da relação entre Charlie e essa garotinha Gabi. Eles funcionam muito bem juntos, rola uma química e ela é motivo das altas confusões dos episódios. Os personagens coadjuvantes tem seu carisma, nada muito memorável, são bons atores que mantem o nível da série equilibrando drama e a comédia quando necessário.

Idris Elba na vida real se arrisca como  DJ, dá pra ver que ele está bem confortável com o seu personagem. Inclusive Elba tem um performance programada para o próximo Coachela 2019 na vida real. E ao mesmo tempo é interessante também observar o ator fazendo incorporando uma papel que foge um seus últimos trabalhos mais densos como Luther, seu personagem em Beasts of no Nation e na série The Wire no passado. Também é destaque a relação dele com as novas tecnologias já que Charlie é um DJ a moda antiga que não está familiarizado com todos o novos equipamentos e jeitos de fazer música. Algo que contrasta com seu visual de garoto de vinte anos sempre de bermuda e moletom, que na verdade está casa dos quarenta.

Leia também:
Black Earth Rising – Drama com Michaela Coel chega na Netflix

São oito episódios de 20 minutos, é aquele tipo de série que passa rapidinho e tira umas boas risadas. A famosa série de fazer unha, sabe? Um domingo de preguiça e está vista. Uma segunda temporada ainda não foi confirmada, mas esperamos que sim, porque Idris Elba nunca é demais.

Confere o trailer:

Katy Illy

Preta, feminista, da quebrada de São Paulo, fotógrafa. Escrevo com luz e me arrisco nas palavras. Nado pra não me afogar. Danço pra não enferrujar.